quarta-feira, 1 de setembro de 2010

As Malditas Bolinhas

Gente, vou falar de um assunto agora que a Simone, por muita sorte na vida dela, não passa pelo mal. Eu tenho sardas.

Por volta dos meus 8 anos, fui a um aniversário na piscina. Cheguei por volta das 10 da manhã e fui embora umas quatro da tarde. Durante esse período todo, fiquei torrando no sol, sem protetor solar (criança não sabe o que é bom pra vida, me arrependo profundamente de reclamar tanto de passar o tal creminho). Ele estava na bolsa, mas no furor da ocasião, ninguém sequer passou no rosto. E nenhuma mãe veio avisar também (no caso, a mãe da aniversariante, que estava no local).

Depois desse aniversário, fiquei ardendo loucamente por quase uma semana, quase morria de dor pra dormir e fiquei todo esse tempo besuntada naquele creme rosa próprio pra essas coisas (caladril? Não me lembro o nome). Depois disso, descasquei. Depois disso, empipoquei. Desde então tenho sardas nas bochechas principalmente, algumas perdidas pelo rosto todo, no peitoral e nos braços (ombros e até no punho, acreditem).

Eu também, colhéga.

Acontece que eu ODEIO sardas. É bem aquela coisa de quem tem cabelo liso, quer enrolar, e quem tem cabelo enrolado, quer alisar. Quem não tem sardas, fala que é "lindo", e eu que tenho, acho horroroso!

Não sou ruiva (embora esteja ruiva graças a minha linda cabeleireira, amo ruivos, mas ruivos de verdade, laranjas), acho lindo sardas em quem nasceu pra tê-las (taí uma desculpa que eu posso dar pra ter virado ruiva). Tenho um primo de 7 anos que é MUITO ruivo, e as sardas dele estão começando a aparecer. Combina! Agora eu não nasci pra ser ruiva. Nasci, sim, com a pele ruim. E infelizmente não cuidei quando deveria. Agora corro atrás do prejú.

Hoje em dia, não saio de casa sem um protetor solar, ou sem um produto cosmético que tenha FPS (fator de proteção solar, né gente?!), porque nasci no país errado e odeio o sol (agora, quando eu era criança, não ligava), odeio ficar com marcas de sol e odeio "pegar cor". Acho que grande parte do trauma são as sardas mesmo. Mas acho que quem nasceu morena, teve sorte. Agora gente branquela que quer ficar "bronzeada" (porque não fica, né, amiga?!), acho o ó do boró, viu. Primeiro que fica artificial, segundo que... não fica, né?!

Bom, então é isso. Como eu já disse, eu me interessei por makes por causa das minhas sardas, na busca de como tapá-las. E isso foi um desabafo pra dizer que eu as odeio, embora agora eu esteja mais combinandinho com ela por causa da cor do cabelo, ainda assim, não gosto!

3 comentários:

Giovana disse...

Ai amyga companheira de cor de pele! Eu entendo TUDO o que vc escreveu! Quando eu era criança, odiava as minhas sardas, hoje já nem ligo, até gosto, eu acho. Também já cheguei a acreditar que ficaria morena um dia (¬¬) mas também já desencanei e hoje assumo minha cor branca fluorescente, hahaha. O duro é que as pessoas não compreendem que às vezes algumas pessoas nascem com falta de melanina, e que ser ruivo (natural) não é só ter o cabelo laranja (que eu amo), mas rola toda uma identidade, uma personificação. ;) Compartilho com vc o ódio pelo sol, eca! Beijo!

Necessaire para Todas disse...

oi Lilian! vim conhecer o seu blog!

quanto às sardas, eu acho mto lindinho, não sei pq as pessoas que têm não gostam rs

Bjoss

Simone disse...

Acho bonitinho tb!!!
Beijo.